quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Discussão de Resultados: Grazziotin 3T16

GRAZZIOTIN - CGRA

Antes de começar a discorrer sobre o último resultado da Grazziotin, faz-se necessário sanar uma dúvida extremamente importante que atormenta as noites dos investidores do mercado bursátil:
Não, a Grazziotin S.A. não tem nenhuma ligação com a Vanessa Grazziotin. Sim, a Renata Grazziotin é a CEO mais bonita da Bovespa.

Comerei a discussão de resultados propriamente dita:

Avalio o último resultado da Grazziotin como muito bom. A empresa conseguiu manter o lucro mesmo em um ambiente econômico bastante recessivo, continua congelando investimentos e, em virtude disso, aumentou bastante o caixa líquido, que está positivo em 142,9M. A empresa conseguiu chegar a um lucro de 10,6M, mas parte desse lucro foi impulsionado pelo recebimento de uma indenização referente ao Plano Verão. Cabe ressaltar que ocorreu um incêndio na sua subsidiária de florestas e um prejuízo de até 3M deve ser reportado no próximo balanço por causa desse incidente.

A empresa tem força regional no varejo de vestuário na região Sul, oferece produtos baratos e é extremamente competitiva. A empresa possui três marcas de varejo de vestuário: Grazziotin, Pormenos e Franco Giorgi, e uma marca de varejo de material de construção, a Tottal Casa & Conforto, loja especializada em utensílios e utilidades domésticas. Além disso, possui as seguintes empresas e participações: Centro Shopping em Porto Alegre, 50% da Grato Agropecuária na Bahia, Floresta Grazziotin no Rio Grande do Sul e a Grazziotin Financiadora, que financia os clientes das operações de varejo.
(A Grazziotin usou o revolucionário Excel para fazer essa pizza)
O modelo de negócios regional da companhia é um grande sucesso e permite que ela continue reportando lucros mesmo quando as suas concorrentes estão com grandes dificuldades. A empresa consegue boas margens brutas, mas seu maior trunfo é o fato de operar totalmente sem dívidas e com um enorme caixa investido em aplicações financeiras. Eu sempre prefiro empresas que são conservadoras em relação à dívida, grande parte das falências ocorrem porque as empresas acabam assumindo dívidas para se expandir e nunca conseguem alcançar uma margem de lucro que permita pagar o serviço dessa dívida.
Gráfico de lucros históricos da Grazziotin
As ações da empresa estão muito mais baratas quando comparadas em relação aos múltiplos das outras varejistas, essa é a típica ação esquecida pelo mercado e fora do radar dos grandes investidores que pode vir a ser um bom investimento. Por enquanto, os resultados devem continuar vindo no mesmo nível, mas eles podem melhorar muito caso a recuperação econômica aconteça.

NOTA:MB

4 comentários:

  1. Empresa interessantíssima. Importante destacar que o fortalecimento do caixa frente a crise foi o que literalmente proporcionou os bons resultados, visto que a grande parte do lucro auferido pela empresa proveio das operações financeiras. Outra empresa que adotou estratégia parecida, e com muito sucesso, foi a Grendene.

    O lado positivo da estratégia, obviamente, é possibilitar resultados com menor dependência do operacional, que é afetado diretamente pela crise. O lado negativo é que o operacional é o coração da empresa, portanto, hora ou outra o caixa será investido e ele terá de apresentar lucros, caso contrário, se a empresa não se mostra capaz de gerar retornos em seu próprio negócio, o ideal seria vender tudo e virar um banco.

    Porém, neste caso específico creio ter sido uma decisão inteligente da empresa em fechar lojas e fortalecer o caixa. Aliás, minha opinião pouco importa, é só verificar os últimos resultados das demais empresas do setor.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Pretenso Milionário! Eu sempre preferi esse tipo de empresa que não se expande muito e mantém um bom caixa líquido. Sobre o investimento do caixa, no momento atual não dá para investir em nenhum aumento de produção com rentabilidade boa, há que se esperar por alguma retomada na economia.

      Com certeza essa decisão foi inteligentíssima, enquanto grande parte das outras empresas do setor lutam para reportar resultados no azul ela manteve quase a mesma margem líquida de três anos atrás.

      Abraços!

      Excluir
  2. Não conhecia essa empresa, obrigado pela exposição da existência dela, realmente o preço de mercado está muito em conta, a dívida líquida tá 140 milhões negativos, isso quer dizer se a CGRA fosse pagar tudo que deve com o que tem disponível, sobraria 140 milhões, isso é muito bom, mas o ROE tá 11,3% (abaixo do juros do mercado) e a margem líquida tá 13,4% (bom seria 20) há um custo meio grande pra se ter lucro, mas a empresa tem capital sobrando pra isso, tem uma boa governança. Após o salário de dezembro verificarei a possibilidade de ter uma cota dessa azienda.

    Abraço do Norte e Boa Sorte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Lobo! É praticamente impossível a Grazziotin conseguir 20% de margem líquida, porque ela trabalha com grandes volumes e vende barato. Só seria possível conseguir 20% de margem líquida nesse setor se a empresa fosse uma grife que vende camiseta por 300 reais.

      Eu não uso o ROE para muita coisa por três motivos: 1) O patrimônio real da empresa pode valer mais ou menos que o patrimônio contábil. 2) Você paga o valor da ação para ser adquirir as ações e não o VPA. 3) O ROE varia conforme as variações de lucro e de patrimônio contábil.

      A única coisa que não gosto na governança da empresa é o plano de opções de ações para os diretores, mas não é algo muito exorbitante. O salário junto com os benefícios aos diretores está na média do mercado.

      Abraços!

      Excluir